Conheça o Glyoxyloyl Carbocysteine: o que é e polêmicas!

Alisamento de cabelos sempre foram temas polêmicos quando o assunto é produtos. Produtos que fazem mal à saúde atualmente são proibidos pela ANVISA.

O formol quando chegou, no começo foi uma verdadeira febre. O pessoal ficou enlouquecido com a grande novidade do mundo do alisamento. O método da escova progressiva era uma nova técnica nos salões de beleza. E era um processo que necessitava “aguentar mão” para não ficar cega, pois a fumaça do produto fazia as mulheres lacrimejarem, mas uma coisa era certa: o cabelo ficava liso, e bota liso nisto, e por alguns meses ainda.

Glyoxyloyl Carbocysteine

Atualmente, como já foi dito, não se pode mais usar formol, como o perigo de até mesmo poder ser preso por crime hediondo, de tão ruim que hoje é considerado utilizar um formol na escova progressiva.

E então surgiram novos meios no mundo do alisamento, que alguns nada mais são que “formol disfarçado”, como o aldeído por exemplo, que em contato com o calor, se transforma no mesmo componente, e alguns outros, são uma inovação no mundo do alisamento, com métodos naturais para o alisamento.

Um deles é a carbocisteína, ou, no seu nome científico, a Glyoxyloyl carbocysteine. Vamos conhecer um pouco sobre este componente.

O que é Glyoxyloyl carbocysteine

Bom, a Glyoxyloyl carbocysteine, ou carbocisteína, é um aminoácido que age diretamente na estrutura do cabelo. Como sabemos, aminoácido é um componente que contribui na produção de proteína. Sendo o cabelo composto de proteína, a carbocisteína tem uma relação bem íntima com o cabelo.

Sua função é fazer abertura da cutícula do fio ao córtex, para que o calor da escova possa ter acesso ao mesmo, e moldar a estrutura do fio. Porém, como se sabe, a carbocisteína tem uma função importante no momento do alisamento, mas ele não é o componente para o alisamento, melhor dizendo, ela não é o componente essencial que alisa.

Alguns produtos atualmente são compostas por este aminoácido. Alguns como: ProLiss 100, Progressiva UP! Liss, entre outros são novos produtos no mercado, que prometem um cabelo mais liso, através de um método mais natural.

A grande polêmica

A grande polêmica no ramo do alisamento capilar é: se a carbocisteína não alisa, então qual a substância que é utilizada para fazer o alisamento nos cabelos das mulheres.

Há uma série de especulações, que a possui uma substância junto com a carbocisteína parecida com o formol, ou substâncias químicas junto com ela responsável por fechar as cúticulas, pois a carbocisteína é responsável por abrir as cutículas para a entrada da substância junto com o calor que vai moldar a estrutura do córtex, enfim.

Se você procurar no Youtube agora, há uma séria de profissionais e pseudo-cabeleireiras, até mesmo algumas desinformadas que falam a respeito do componente, porém, cada uma fala uma coisa.

Ninguém sabe ao certo qual o componente junto com a carbocisteína que ajuda no alisamento, porém, uma coisa é certa: o componente tem aprovação da ANVISA para utilização, e, é óbvio, tudo que for utilizar, deve ser usado com bastante moderação, e também com sabedoria.

Glyoxyloyl carbocysteine não é ácido glicólico

O Glyoxyloyl carbocysteine não é ácido glicólico, e muitos fazem esta confusão a respeito. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Um é aminoácido, e outro é componente químico, porém, muitos acham que os dois estão misturados nos produtos, o que não é verdade … quer dizer, isto depende do produto.

Mas o ácido glicólico é proibido pela ANVISA, e não pode ser utilizado porque possui os mesmos efeitos do formol. Deve ser tomar muito cuidado porque, assim como o formol, o ácido glicólico também traz situações semelhantes ao formol que prejudicam a saúde.

Comente! Pergunte! Relate! Sugira!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest