5 Fatos sobre o Woodstock Hippie


O maior festival de música de todos os tempos, ocorrido entre os dias 15 e 17 de agosto de 1969, mesmo após 40 anos desde sua realização, continua emanando energias que influenciam toda a música pop atual, todos os atos de contestação e contracultura e carregam sons que ainda fazem a cabeça de muitos. Woodstock era para ser apenas um festival de shows e se tornou,além de todas as expectativas, o happening de uma geração.

Alguns dos maiores nomes da música, seja do rock, folk, psicodélico e o que mais houvesse, como Janis Joplin, Jimi Hendrix, The Who, Joan Baez, Ravi Shankar, Joe Cocker e dezenas de outros, cravaram suas digitais na história ao participar. Foram três dias de paz, amor e música que pareciam que nunca iriam acabar. E para muitos, ainda não acabou. Vamos ver cinco fatos interessantes sobre um dos momentos mais marcantes do século XX.

1. Mar de gente – Os organizadores esperavam receber cerca de 60 mil pessoas no festival, todavia cerca de 400.000 mil pessoas acabaram invadindo a modesta cidade de Bethel, que possuía 2300 habitantes e assistindo aos concertos. Todas as 32 atrações foram unanimes em se assustar com o tamanho do público. Como a organização teve que alimentar sete vezes mais pessoas que o previsto, as cidades vizinhas doaram frutas, enlatados e sanduíches que foram distribuídos em postos de alimentação improvisados.

2. Sem encrenca – A paz e o amor realmente reinaram no festival, pois com esta multidão, uma confusão de igual proporção seria o esperado, mas não ocorreram registros de brigas, (apenas 200 prisões por ofensas) e três óbitos foram computados. Um por atropelamento de trator, outro por apendicite, e apesar das quantidades mastodônticas de drogas que circularam entre os hippies, uma única overdose fatal.

3. Quem não foi – Curiosamente, alguns dos maiores ídolos daquela geração ficaram de fora. Os Beatles foram cogitados, mas John Lennon condicionou sua participação à presença de Yoko Ono e sua Plastic Ono Band, o que foi rejeitado prelos produtores. Os Rolling Stones pediram um cachê muito além da média dos demais participantes e foram também descartados. The Doors sofriam devido às encrencas que seu vocalista Jim Morrison aprontou em um show em Miami (Jim supostamente teria mostrado suas partes íntimas ao público) e também perderam a chance de tocar no festival. Bob Dylan não foi porque seu filho estava doente e porque não estava nem um pouco feliz com os hippies que iriam acampar perto da sua casa, que era próxima de onde ocorreria o festival originalmente.

4. Um belo empreendimento capitalista – Apesar de simbolizar a contracultura e ser anti-establishment e anti-materialismo, o Festival de Woodstock foi idealizado para fazer dinheiro. Tanto é que ingressos foram vendidos. (O festival só se tornou gratuito quando a estrutura preparada percebeu que não teria como controlar aquela massa). O festival foi filmado e gravado com fins comerciais e segundo alguns críticos, teve como seu maior legado, o estabelecimento do rock como o principal produto das gravadoras nas décadas seguintes. Mas, curiosamente, outros alegam que este lado comercial acabou propagando as ideias que moveram o público: a paz, o amor e as críticas sociais mundo afora.

5. Legado – Em todo o mundo surgiram festivais que seguiram a linha de Woodstock. Ocorrem em 1970 no Canadá, o Festival Express, o S Rolling Stones tiveram seu mega festival em Altamont (que teve um trágico final) no mesmo ano No Brasil, em 1975, teve o Festival de Águas Claras, realizado em Iacanga, no interior de São Paulo, teve a presença dos Mutantes, Walter Franco, Grupo Capote, O Terço, Jorge Mautner e outros. Este festival teve ainda outras três edições. Por fim Realizou se versões de Woodstock em 1994 e 1999, na qual além de alguns veteranos de 1969, se apresentaram o Metallica, Nine Inch Nails, Aerosmith, Green Day, Red Hot Chili Peppers, Limp Bizkit, Insane Clown Posse e Kid Rock.

Existiram festivais de música antes de Woodstock e obviamente depois. Mas sem dúvida, nenhum outro evento conseguiu encarnar espontaneamente o espírito da juventude e ser um divisor de águas como o ocorrido naquela cidadezinha perto de Nova Iorque. Woodstock criou um espaço no imaginário popular, ao ver o documentário ou ouvir alguns dos incríveis artistas que lá estiveram, é possível acreditar que a paz, o amor e a música poderiam realmente mudar o mundo.

Comente!

One Comment

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe!

Seus amigos vão adorar! :)